Qual é a importância do projeto EJA para o Brasil?

projeto-eja
Projeto de Educação para Jovens e Adultos

Apesar dos esforços na área de educação nos últimos anos, o Brasil ainda conta com quase 12 milhões de analfabetos. O trabalho infantil, a pobreza e a desigualdade social são os principais motivos que levam à evasão escolar. Para driblar essa situação, existe o projeto EJA.

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é destinada às pessoas que não tiveram a oportunidade de frequentar a escola na idade adequada, permitindo retomar os estudos de onde eles foram interrompidos.

Quer saber mais? Continue a leitura!

O que é e qual a importância do projeto EJA?

O projeto EJA surgiu para substituir o antigo supletivo, oferecendo oportunidade para jovens e adultos retomarem os estudos.

Possibilitar o acesso à educação é extremamente importante, afinal dessa forma amplia-se as oportunidades de trabalho dessas pessoas, que conseguem ter acesso a vagas melhores e com salários mais altos, além da formação como indivíduo e cidadão.

O EJA funciona em módulos com 6 meses de duração que são equivalentes aos anos ainda não cumpridos. Assim como na escola regular, as aulas acontecem de segunda à sexta, com carga horária diária de 4 horas.

O tempo para concluir o EJA dependerá muito de onde você parou os estudos. Por exemplo, quem não concluiu o ensino médio poderá finalizar os estudos em, mais ou menos, 1 ano e meio, já que cada semestre equivale a um dos 3 anos perdidos.

Inscrições

A disponibilidade de vagas é determinada pela secretaria de educação de cada estado, que também poderá organizar modos diferentes para certificar os estudantes.

Assim, o interessado deverá procurar as escolas estaduais da sua cidade para se informar sobre os horários de aula e documentos necessários para a matrícula.

Qual o papel do educador?

O professor tem um papel extremamente importante no projeto EJA, afinal é ele que mostrará aos alunos que não é vergonha ter parado de estudar, mas sim, motivo de orgulho estar buscando meios de recuperar o tempo perdido.

Por isso, é muito importante que o educador consiga ajudar os estudantes a identificar a utilidade e o valor dos estudos, usando atividades relacionadas ao cotidiano dessas pessoas, buscando produzir aulas dinâmicas e pensando em maneiras de expandir os horizontes.

Mais do que apenas conseguir um certificado que lhe permita novas possibilidades e até prestar uma faculdade, a educação por meio do EJA é uma maneira significativa de modificar vidas.

Afinal, é por meio dela que as pessoas conseguem ter um olhar mais crítico do mundo e da sociedade, definir o seu papel como cidadão e fazer a sua voz ser ouvida. Sem isso, dificilmente a educação conseguirá modificar as realidades nas quais esses indivíduos estão inseridos.

Como evitar a evasão escolar?

Como dissemos na introdução, são muitos os motivos que levam à evasão escolar. A pobreza é um dos mais significativos, porque força as crianças a deixarem a escola e procurarem um emprego, de modo a contribuir com a renda da família.

O programa menor aprendiz é uma maneira muito interessante de evitar que esse ciclo se perpetue. Afinal, por meio dele, adolescentes e jovens conseguem o primeiro emprego sem ter que deixar a escola.

A aprendizagem é um modo legal de oferecer oportunidades de emprego a jovens de 14 a 24 anos por meio da formação técnico profissional. Dessa forma, esses adolescentes assistem aulas teóricas e práticas e trabalham de uma maneira diferenciada, com uma carga horária reduzida e com regras definidas em um contrato de aprendizagem.

A ideia é que essa mão de obra aprenda mais sobre os vários setores de uma empresa e comece a ter mais experiência no currículo, além de terem contato com valores como ética, profissionalismo, etc.

Ou seja, por meio do programa o adolescente terá um salário para auxiliar a família, se capacitará e continuará estudando (já que essa é uma das premissas básicas para participação do jovem).

Como você viu, o projeto EJA é uma ótima maneira de reduzir o nível de analfabetismo e o déficit na nossa educação, sendo voltado principalmente aos adultos que, por diversos motivos, tiveram que deixar a escola.

Mas, para evitar que essa situação permaneça, o ideal é combater as causas da evasão escolar, daí a importância de programas como o jovem aprendiz.

Gostou deste post? Então compartilhe o nosso conteúdo nas suas redes sociais!

Vai fazer pós graduação? Saiba pra qual cidade ir!

pós-graduação

Mudar de cidade para fazer uma pós graduação pode ser vantajoso para sua carreira e gerar diversas oportunidades. Além de ter mais opções de cursos, é possível ter contato com um mercado maior e mais variado para complementar a formação. Porém, essa decisão precisa ser feita com cuidado, já que pode exigir diversos recursos financeiros e psicológicos dos alunos.

Os principais destinos ainda são as grandes capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro, afinal, elas possuem um maior número de instituições e empresas de diversos setores. Contudo, existem outras cidades que estão mostrando boas alternativas de centros universitários, mas sem o caos das metrópoles e com uma melhor qualidade de vida.

Vejamos alguns dos melhores destinos para realizar a tão sonhada pós graduação! Você terá opções de pós graduação Belo Horizonte, pós graduação Rio Branco, Porto Velho, Belém, etc! Veja a seguir:

Rio Branco (AC)

Na capital do Acre, é possível fazer diversos cursos de especialização em diferentes áreas, algumas das opções incluem: Docência do Ensino Superior; Administração Pública; LIBRAS; Educação Especial Inclusiva; Perícia Judicial e Assistência Técnica para Fisioterapeutas; Psicologia Jurídica; Psicologia Organizacional e Psicopedagogia. Todas disponibilizadas pela estrutura da Faculdade da Amazônia Ocidental – FAAO, uma das conceituadas do estado.

Porto Velho (RO)

A Faculdade Católica de Rondônia oferece tanto pós graduação lato sensu quanto stricto sensu. Na primeira modalidade, é possível encontrar os cursos de Direito Civil; Direito Penal; Direito do Trabalho; Gestão de Pessoas e Psicologia Organizacional; MBA em Contabilidade Fiscal e Tributária; MBA em Gestão Financeira, entre outros. Além disso, estão disponíveis os mestrados em História, Direito e Ciência Jurídica e os doutorados em Ciência Política, Ciência Jurídica e Psicologia.

Belém (PA)

Quem deseja ingressar em cursos de pós graduação e considera esse destino uma boa escolha, pode contar com a Faculdade Integrada Brasil Amazônia. Essa instituição disponibiliza uma série de opções de especialização nas áreas da saúde, administração, direito, educação, geografia, história, letras, arte e odontologia. Entre os cursos, podemos destacar: Política Criminal; Gestão Financeira, Auditoria e Controladoria; e Criminologia com Ênfase em Violência; e Política Criminal.

Belo Horizonte (MG)

Tudo bem que BH também é uma grande cidade, mas ainda é possível uma vida menos agitada e focada nos estudos. Porém, se mesmo assim você não quiser mudar de cidade, ainda pode fazer um curso a distância (EAD) no Instituto IPB. A instituição oferece um grande número de especializações, como: psicopedagogia; revisão de textos; personal trainer; oncologia; nutrição escolar; neurociências; gestão hospital e muitos outros mais.

Como visto, existem muitas alternativas de cidades para fazer algum curso de pós graduação e elas vão além das grandes metrópoles do país. Elas ainda são grandes centros urbanos e possuem uma boa estrutura para acomodação dos estudantes e opções de aprender com o mercado. Isso é aliado a uma ótima qualidade de ensino e padrão de vida. Então, agora é só escolher sua cidade, o curso que mais te agrada e bons estudos!

Se você tem dúvidas sobre os cursos ou quer deixar sua opinião, faça um comentário e participe da conversa!

Conheça as Startups que vão revolucionar o jurídico brasileiro

Muitas vezes, a justiça pode ser lenta e burocrática, o que deixa muitos clientes e profissionais desgastados com toda demora para saber os resultados. Essa espera, em determinados casos, pode durar meses ou anos, com muitos documentos e idas ao fórum.

Para facilitar todo esse esforço, algumas startups jurídicas surgiram prometendo mudar a forma como lidamos com o sistema legal. Elas trabalham com soluções para deixar as práticas judiciais mais ágeis e eficientes, economizando tempo e descomplicando certos procedimentos.

Veremos algumas dessas empresas que têm o desejo de mudar o cenário da justiça mundial. Confira!

Invenis

Esse serviço, iniciado em 2014, monitora processos e alerta, em no máximo 24 horas, quando ele é ajuizado. Isso facilita bastante o serviço dos escritórios, que precisam verificar muitos sites de tribunais em busca de informações dos seus clientes.

Além disso, diversas empresas ficam sabendo sobre ações judiciais de surpresa, terminando sem tempo suficiente para juntar todos os documentos e preparar uma boa defesa. O Invenis funciona avisando os clientes por e-mail, com planos de acordo com o número de tribunais verificados.

Legal One

Essa plataforma foi lançada, em 2016, pela companhia de comunicação e finanças Thomson Reuters, com o intuito de aumentar a integração e a produtividade entre diversos departamentos jurídicos. Ela reúne várias informações relevantes sobre processos e dados dos clientes.

É possível gerenciar a rotina profissional, acessando conteúdos legais, financeiros, contratos, entre outros. Tudo em um mesmo lugar, de forma rápida, segura e em diferentes níveis de complexidade, desde pequenos escritórios de advocacia até grandes empresas.

Finch Soluções

Foi criada em 2013, com a intenção de reduzir gastos e acelerar o gerenciamento do volume de processos do escritório JBM Advogados, um dos maiores do país. Essa empresa produz softwares de gestão jurídica e garante diminuir bastante o tempo de algumas ações legais.

Eles criaram sistemas para capturar e gerenciar as informações dos processos. É possível fazer pesquisas avançadas de jurisprudência, além de monitorar processos e automatizar os agendamentos, economizando tempo e aumentando a produtividade dos departamentos jurídicos.

Justto

Essa plataforma, que lida com o trabalho de arbitragem e conciliação extrajudicial pela internet, foi iniciada em 2011 e já recebeu mais de R$ 1 milhão em investimentos para aceleração do negócio. Possui entre seus serviços, uma câmara de arbitragem e um programa de acordos online.

Por meio de uma inteligência artificial, pode-se analisar o desempenho dos clientes e toda a base de processos em negociação. Além de enviar mensagens e fechar acordos de forma automática ou com pouca influência dos profissionais.

Advys

Fundada em 2016, esse sistema permite solucionar dúvidas jurídicas, empresariais, financeiras, contábeis, forenses etc, de forma imediata por meio de consultores. É mais direcionado para indivíduos e empresas de pequeno porte.

Também, auxilia na resolução de questões relacionadas à prestação de serviços, aluguel, funcionários, testamento, contratos, entre outros assuntos legais. Com planos de diversos preços, permite desde o acesso à informações básicas até modelos de documentos.

Looplex

Essa startup, criada em 2014, oferece a automatização de documentos, como petições, escrituras, contratos e propostas. Criando, em poucos minutos,  peças que poderiam demorar muitas horas ou dias nas mãos de um advogado.

Para isso, basta escolher um modelo, responder algumas perguntas e a plataforma gera o documento rapidamente, que ainda conta com tradução e pode ser assinado digitalmente.

Certamente, essas startups jurídicas ainda vão chamar bastante atenção e muitos afirmam que elas são o futuro da justiça. Seus serviços facilitam muito a vida dos profissionais da área e se elas conseguirem provar esses benefícios, em breve, farão parte do cotidiano de todos que tem envolvimento com questões legais.

Você concorda ou não que a tecnologia vai dominar a área jurídica? Deixe seu comentário e participe do debate!